• Ariane Angioletti

Os efeitos desastrosos dos líderes negacionistas: evidências da crise Covid-19 no Brasil


A universidade de Toronto publicou uma pesquisa realizada no período de 25 de fevereiro de 2020 a 18 de fevereiro de 2021 que relaciona os percentuais de infecção e mortes por covid e os municípios onde Jair Bolsonaro recebeu 50% ou mais de votos nas eleições de 2018.


Durante 52 semanas, foram cruzados dados das eleições de 5.570 municípios, divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral e os dados sobre Covid.


Nos municípios onde o presidente Jair Bolsonaro teve mais de 50% dos votos no segundo turno de 2018, o número de infecção foi 299% e o de mortes, 415%

maior do que nos demais municípios.


Já nas cidades onde o presidente Jair Bolsonaro teve mais de 70% dos votos no segundo turno de 2018, o número de infecção foi 567% e o de mortes, 647% maior do que nos demais municípios.


Outra relação que a pesquisa traz aponta o pronunciamento no dia 24/03/2020 em cadeia nacional pelo presidente. Este pronunciamento, lamentavelmente, tornou-se conhecido mundialmente e tornou-se altamente letal.

"(...) pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado pelo vírus, (...) nada sentiria ou seria, quando muito, acometido de uma gripezinha ou resfriadinho".

Após este pronunciamento verificou-se o primeiro aumento mais exponencial de contágio e mortes, especialmente nas cidades onde Bolsonaro recebeu 50% dos votos ou mais.


As causas apontadas para a diferença nos municípios com maior e menor percentual de eleitores do Bolsonaro e os reflexos nos índices de contágio e mortes foram:

- Crença no Presidente

- Postura negacionista

- Estímulo ao uso de "métodos de prevenção" não comprovados

- Baixa adesão ao distanciamento


A pesquisa foi publicada em inglês (acesse o documento aqui)

Disponibilizei um arquivo com tradução (juro que me esforcei) aqui.

125 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo