• Ariane Angioletti

Racismo e Envelhecimento

Atualizado: Jan 20

Vamos deixar a hipocrisia de lado?! Envelhecer é um processo delicado e complicado, pois não nos preparamos, vivendo como se tudo fosse reversível ou recuperável.


Acontece que envelhecer sendo negro é ainda mais difícil! Se for homem negro, então, a dificuldade aumenta! A primeira vitória está em envelhecer! Nosso país mata homens negros aos centenas mensalmente. Muitos são mortos pelo simples fato de serem negros. Isto porque a cor da pele faz com que sejam confundidos com bandidos, com ameaça, com suspeitas. Assim, o homem negro envelhece com um alvo na cabeça (ou nas costas, ou em ambos lados).


Em 2016, a taxa de homicídios de negros foi duas vezes e meia superior a de não negros e a taxa de homicídios de mulheres negras foi 71% superior à de mulheres não negras. Em uma década, entre 2006 e 2016, a taxa de homicídios de negros cresceu 23,1%. No mesmo período, a taxa entre os não negros caiu 6,8%.


Os dados são do Atlas da Violência 2018, estudo elaborado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que aponta, ainda, que nas mortes decorrentes de intervenções policiais 76,2% das vítimas fatais, eram negros.


Nós fingimos que não existe, mas o racismo é histórico e estrutural no Brasil. A própria abolição da escravidão é um exemplo de como negamos os erros e dívidas sociais com a população negra. Veja o que está escrito nos livros de história sobre os escravos e a abolição da escravidão.


Os escravos foram "libertos", mas nos livros de história não consta que essa libertação empurrou os negros das senzalas para as periferias desde o momento em que foram "libertos", saindo de uma condição desumana e sendo jogados para as misérias das ruas, sem qualquer apoio ou orientação, o que explica parte da marginalização social da população negra.


Passaram-se 131 anos da abolição da escravidão. E encontramos o dobro de adultos negros analfabetos, se comparados a população não negra. Seus salários correspondem a 50% do salário de um homem branco exercendo a mesma função. Comparando o salário de uma mulher negra, com de um homem branco, a diferença é de 67%!


Além disso, a população negra não está nos cargos de direção que são os de melhor remuneração, reservado aos que conseguem melhor qualificação profissional e estudo. Apenas 5,3% dos cargos de direção são ocupados por negros.


As famílias negras, mais pobres e com menos acesso à saúde, observam seus idosos padecerem no acúmulo das falhas sociais, que não lhes oferecem igualdade de acesso, igualdade de atendimento. Aliás! Não lhes oferecem igualdade de existência.


Por isso reafirmo que negar o racismo endêmico, histórico e estrutural, é um crime ainda mais grave que o próprio racismo em si.


Você que está lendo isto, que é branco(a) feito eu, já tinha parado para pensar nisto? Pois pense a respeito. Se envelhecer no Brasil é uma luta diária, a população negra está colocada no front desta guerra, recebendo as maiores bordoadas, as balas de canhão e sem direito a se esconder nas trincheiras.

Pense a respeito e exerça a empatia.


Quando alguém lhe disser que existe racismo no Brasil, não negue esta existência. O racismo no nosso país é endêmico e para que este quadro comece a mudar, precisamos reconhecer, primeiro, a nossa parte nos números que o IPEA, IBGE, Relatório Nacional da Segurança mostram.


O Racismo existe em cada um de nós e convido os leitores não negros para a seguinte reflexão (que você nem precisa dividir com ninguém, apenas seja honesto consigo):


1. Você está caminhando por uma calçada às 21 horas, com poucas pessoas na rua. Em sentido contrário ao seu, vem caminhando um homem negro, de jaqueta, calça e tênis. Ele anda apressado e com as mãos no bolso. Se você puder evitá-lo atravessando a rua, você atravessa, pensando que pode ser perigoso cruzar com ele?


2. Você está por esta mesma rua, num horário de grande movimento. Acontece uma agitação mais a frente e alguém grita "é assalto"! Automaticamente você olha pra qual homem que saiu correndo? Pro negro ou pro branco? Você imagina que qual dos dois cometeu o delito?


3. Você está numa festa com todos arrumados. Homens de terno e gravata. Sua tendência, ao avistar o primeiro negro, é supor que ele é convidado ou está ali a trabalho?


Seja sincero. Sinceridade e honestidade são as primeiras armas contra o racismo.


Bom. Fechando estes meus pensamentos de hoje... envelhecer sendo negro é uma batalha árdua. Vamos fazer a nossa parte pra que a quantidade de melanina na pele das pessoas não seja determinante sobre a sua existência?


Dia 13 de maio é um dia de reflexão sobre o racismo. Dia de luta pelo reconhecimento da igualdade racial. Não finja que o racismo não existe.

0 visualização

Criado por Ariane Angioletti. Todos os Direitos Reservados.

Siga-nos nas redes sociais!

  • Facebook ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • Instagram