• Ariane Angioletti

O que fazer quando o idoso não quer receber cuidados?

Em alguns momentos, já estive com pessoas em minha frente que queriam uma única resposta: “como fazer pra obrigar minha mãe a perceber que não consegue se cuidar sozinha?”.

Do ponto de vista jurídico, que imagino que seja onde eu possa aconselhar, sempre retorno a pergunta com outro questionamento: “ela é lúcida?”.


Quando se trata de idosos lúcidos, independentes e com a capacidade cognitiva preservada, os filhos terão que enfrentar a situação com bastante jogo de cintura... Ou, você pensa que, pelo fato de estarem idosos, seus pais perdem o direito de se autodeterminarem?


Os filhos queixam-se que seus pais não querem cuidar da própria saúde, e, mesmo com a existência de diagnósticos, eles insistem em não adotar estilos de vida saudáveis, não fazem a dieta necessária, não querem ir ao médico e nem fazem uso da medicação prescrita. Alguns usam justificativas de que “vão morrer de qualquer jeito”, que Deus “sabe qual é sua hora”, que “nunca fizeram nada daquilo e ainda está vivo”.


Parte dos idosos, quando lúcidos e cientes de que tem o direito ao controle de sua própria vida e de que tem condições de tomar decisões sobre o que fazer, não se sentem a vontade para “receber ordens” de seus filhos. Este é um reflexo da sociedade onde eles cresceram e tiveram suas convicções forjadas, em organizações familiares patriarcais, tendo cada um seu papel bem definido. E, naqueles papéis, os filhos não tinham espaço para dizer o que os pais deveriam fazer.


Bem, juridicamente não é possível fazer nada quando o idoso não é causador de riscos iminentes à sua saúde. E, fazê-lo passar por uma interdição parcial ou um acolhimento compulsório seria de impacto muito negativo, para além de suas doenças, comorbidades e sintomas.


Mas é possível auxiliar os idosos, mesmo que indiretamente. Tentar e tentar diariamente, buscar intervir de maneira sutil, fazer com que ele tome as decisões mais acertadas e sinta-se à frente das determinações com relação a sua saúde. Lembre-se! Os filhos realmente devem tentar ajudar os pais, mas existe um limite: até onde o idoso permite ser ajudado.


Agora, caso esteja pensando em uma pessoa que está com sua capacidade cognitiva alterada ou com um diagnóstico de demência, é possível buscar meios jurídicos de tomada de decisão apoiada ou de interdição, para que o idoso seja auxiliado nas suas necessidades.

0 visualização

Criado por Ariane Angioletti. Todos os Direitos Reservados.

Siga-nos nas redes sociais!

  • Facebook ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • Instagram