• Ariane Angioletti

Assessorias para ILPI não são custos, são investimentos


Quanto mais trabalho e me aprofundo neste vasto campo do cuidado com idosos em Instituição de longa permanência, mais percebo a fragilidade na gestão destas casas. . Muito embora estas Instituições realizem sua função precípua, que é a de cuidar do idoso, existe toda uma série de ações e construções de protocolos que deveria ser entendido tão importante quanto o serviço de cuidados. . As assessorias ainda são vistas como um custo que pode ser evitado. Devo dizer que determinadas assessorias são os melhores investimentos que uma ILPI pode fazer. Vou postar as que entendo mais importantes para organização e prevenção: . Assessoria jurídica: realiza acompanhamento documental e auxilia na emissão dos alvarás. Pode representar a instituição em processos administrativos e judiciais. Orienta sobre os direitos e obrigações da casa, em especial sobre prevenção trabalhista, responsabilidade civil, direito do consumidor e contratual. Pode, ainda, elaborar documentos exigidos pelo estatuto do idoso em conjunto com os responsáveis de cada área da casa. A advogada, ainda, complementa as atividades do contador e da assistente social. .

Contador: auxilia com o pagamento de salários, tributos, encargos e uma programação contábil. Além disso, auxilia com a emissão de alvará de funcionamento, na organização para o melhor funcionamento dos recursos humanos e emite todos os documentos bem como faz os registros exigidos pelo Governo Federal, Estadual e Municipal. . Assistente social: (que deveria fazer parte do quadro de funcionários, mas está presente apenas nas Instituições filantrópicas) que auxiliam da construção de instrumentos e registros, bem como acolhem e compreendem a dinâmica familiar daquele idoso, auxilia e acompanha, também, a gestão dos funcionários. . Fisioterapeuta: deve ser chamado pela instituição para avaliar as condições de trabalho e capacitar os funcionários para evitar lesões no desempenho da sua atividade diária. . Administrador: este profissional deve, ao menos, ser chamado para a construção de um planejamento estratégico e plano de trabalho. Esses instrumentos vão nortear toda a atividade da Instituição, profissionalizando seus procedimentos e otimizando recursos. . Médico: muito embora também não seja exigido pela RDC 283 e entendendo que uma Instituição residencial para idosos não é uma clínica, o auxílio de um médico para situações e orientações pontuais, além de avaliações mensais para adequar dosagens de medicações, orientar em rotinas. O médico, assim como os demais, pode exercer parte de sua assistência na forma de telemedicina, com o auxílio da equipe de enfermagem . Todos estes profissionais antecipam problemas, criando meios de extinção destas situações ou, pelo menos, a diminuição do seu impacto. Lembrando que, das mais simples Instituição até às mais suntuosas, respondem pelas mesmas obrigações. . Muitas das vezes, ao "economizar" numa assessoria, acabam por gerar problemas onde o impacto financeiro é maior do que a soma dos valores que seriam cobrados mensalmente por uma assessoria. . Investimento em assessorias não é custo! É uma decisão acertada e fundamental para a saúde da Instituição. . E lembre-se de buscar profissionais que atuem com instituições de idosos ou serviços de atenção à saúde. Este é um segmento de prestação de serviço pouco conhecido e que precisa de orientações precisas. . Uma ILPI cuida de pessoas. E esta mesma ILPI precisa de cuidados! . Pense nisto.

Criado por Ariane Angioletti. Todos os Direitos Reservados.

Siga-nos nas redes sociais!

  • YouTube
  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • LinkedIn ícone social